10 anos da comunidade Airbnb

Há dez anos atrás, esta semana lançávamos o Airbedandbreakfast.com – o que o mundo todo agora conhece como Airbnb. Foi algumas semanas antes da Convenção Nacional Democrata de 2008, em Denver. Esperava-se que mais de 80 mil pessoas comparecessem à histórica última noite da convenção, mas os 28 mil quartos de hotel da cidade já davam uma ideia do movimento. Tivemos cerca de 800 anfitriões inscritos para receber 80 visitantes.

Nossa comunidade agora oferece mais de 5 milhões de anúncios – em cada um deles, hóspedes de todos os cantos do planeta podem sentir a sensação de pertencimento em um lugar. Hoje, o Airbnb já recebeu mais de 300 milhões de visitantes em mais de 81 mil cidades e 191 países. Neste próximo fim de semana, um final de semana bastante comum em agosto, esperamos ver a maior noite na história do Airbnb, com mais de 3,5 milhões de viajantes fazendo check in em casas ao redor do mundo.

Seria fácil imaginar a primeira estadía no Airbnb como algo comum. Mas foi muito além de uma estadia qualquer, foi uma experiência. Mesmo há alguns anos atrás, nós já enxergávamos as hospedagens em casas como uma porta de entrada para uma experiência de viagem de ponta a ponta. Além de compartilhar nossa própria casa na rua Rausch, também compartilhamos com nossos três primeiros hóspedes nossos lugares favoritos, menos conhecidos e autênticos para visitar em São Francisco.

É por isso que, em novembro de 2016, apresentamos formalmente o conceito mágico de Experiências, com o apoio de pessoas locais e tornando as reservas disponíveis na nossa plataforma. Estamos agora em mais de 800 cidades com mais de 15 mil pessoas compartilhando suas paixões, talentos e hobbies – desde a produção de massas na Toscana até o surfe no Havaí.

Olhando para trás, nessa mesma época, em agosto de 2008, as pessoas achavam que a ideia do Airbnb era uma loucura. Estranhos nunca confiariam um no outro. Vivemos em uma época em que há muita divisão no mundo on-line e no mundo no geral, mas o Airbnb está provando que não somos tão divididos quanto achávamos. Nos ensinou que somos mais parecidos do que diferentes. As pessoas são 99% iguais uma as outras e são essencialmente boas, estatisticamente comprovado. Caso contrário, esse conceito não teria funcionado.

Quando mais de 2 milhões de pessoas são recebidas nas casas de outras pessoas, em um dia qualquer, alguns momentos incríveis e até mesmo estranhos podem acontecer. Ao celebrarmos nosso aniversário de 10 anos, queremos destacar 10 momentos específicos em que você – nossa comunidade – aproximou as pessoas umas das outras em todo mundo.

Você abriu a sua casa em tempos de necessidade

Shell Martinez (Anfitriã), cidade de Nova York, USA

A idéia do Open Homes veio de uma anfitriã chamada Shell que nos mandou um e-mail dizendo que gostaria de oferecer seus quartos extras para pessoas desabrigada em função do furacão Sandy – e ela não queria ser paga por isso. Nós pensamos que era uma ideia incrível – e começamos uma maratona de engenharia de 24 horas para construir um sistema de apoio para receber essas pessoas.

Desde 2012, mais de 11 mil pessoas de 52 países já ajudaram milhares de pessoas desabrigadas, socorristas e refugiados que buscam abrigo temporário por meio do nosso programa Open Homes.

Você salvou vidas
Javier Artigas (Anfitrião), Montevidéo, Uruguai

Javier precisava de dinheiro para sustentar sua família, então decidiu alugar espaço em sua casa em Montevidéu, no Airbnb.

Conforme contado à BBC, um de seus convidados era um renomado escritor argentino, Hernán Casciari. Mas dois dias depois de fazer check in, Hernán teve um ataque cardíaco e precisou ser levado para um hospital rapidamente.

Por acaso, a esposa de Javier, Alejandra, trabalhou no senado uruguaio e conseguiu organizar uma escolta policial para acelerar a viagem. Em vez de 40 minutos, levaram apenas 12 minutos. E ainda o sangue que o casal doou salvou a vida de Hernán.

Mais tarde, após se recuperar e voltar para a Argentina, o escritor deixou a Javier e sua esposa uma avaliação de cinco estrelas com o seguinte comentário:

“Excelente casa para viajantes sedentários propensos a infartos. A região é linda e tem acesso direto aos melhores hospitais. Javier e Alejandra instantaneamente se tornam anjos da guarda que salvarão sua vida sem sequer conhecê-lo. Eles vão levá-lo ao hospital em seu próprio carro enquanto você morre e ficarão na sala de espera enquanto os médicos te examinam. Eles não querem que você se sinta solitário, eles te trazem livros para ler e permitem que você fique noites extras na casa deles sem cobrar. Recomendo muito.”

Você reviveu a história
Cathrine (Viajante), Copenhague, Dinamarca

O pai de Cathrine, Jörg, tinha sido guarda de fronteira da força policial da Alemanha Ocidental no auge da Guerra Fria. Desde que ele se mudou para a Dinamarca, antes da reunificação da Alemanha Oriental e Ocidental, ele nunca teve a chance de ver a cidade como algo único, além da divisão . Em sua mente, a Alemanha Oriental ainda era sua inimiga. E esse foi um peso que ele carregou com ele todos os anos desde que ele deixou Berlim.

Tudo isso mudou quando Cathrine decidiu levar Jörg de volta a Berlim para que ele pudesse experimentar a cidade vibrante e unida que Berlim se tornou desde a queda do Muro.

Quando chegaram em um apartamento do Airbnb em Prenzlauer Berg, na região leste de Berlim, encontraram Kai, que lhes deu as chaves da acomodação.

Enquanto os dois homens conversavam e compartilhavam suas histórias de vida, eles  perceberam que haviam vivido experiências muito semelhantes. Tanto Kai como Jörg tinham sido guardas de fronteira no Muro de Berlim. A única diferença? Kai tinha sido um guarda no lado leste da muralha. E Jörg estava no lado oeste.

Você se mobilizou para compartilhar sua casa
Peter Kwan (Anfitrião), São Francisco, CA, EUA

Em 2014, a cidade e o condado de São Francisco propuseram novas regras para o compartilhamento de residências. O anfitrião Peter Kwan começou um dos primeiros Clubes de Compartilhamento Doméstico, defendendo regulamentos claros e justos. Peter fundou o Home Sharers de San Francisco, que inspirou o Home Sharers Democratic Club – atualmente é modelo para os Clubes de todo o mundo.

Hoje em dia, existem mais de 250 clubes de Compartilhamento em todo o mundo – com anfitriões apoiando pequenas empresas locais, fazendo voluntariado em suas comunidades e defendendo regras claras e justas para a comunidade de compartilhamento de lares.

Você superou o preconceito e retribuiu às comunidades
James e In Ja Yates, (Anfitriões), Los Angeles, CA, EUA

James e sua esposa, In Ja, têm 80 e 79 anos respectivamente, e oferecem sua casa, em Los Angeles, no Airbnb.

O casal se conheceu na Coréia em 1960 e os desafios que enfrentaram como um casal interracial nos EUA os levaram a fazer de sua casa um refúgio para aceitação. “Acreditamos que nossa casa deve ser um paraíso tanto para o amigo quanto para o estranho”, disse James. “A Terra é um único país.”

In Ja continuou: “Ninguém é um estranho. Você pode ser branco, pode ser negro, pode ser verde. Venha até a porta da frente da minha casa e  e vamos comer alguma coisa primeiro, e depois vamos conversar.”

Eles doam qualquer sobra de comida para os moradores de rua em sua vizinhança e doaram quase todos os seus ganhos do Airbnb para uma fundação de bolsas de estudo chamada Soul 2 Seoul, que dá dinheiro a estudantes que promovem a unidade racial.

Você se apaixonou
Ben Glass (viajante), São Francisco, CA, EUA e Noa Glass (Anfitrião), Tel Aviv, Israel

Ben estava procurando um lugar para ficar em uma viagem para Tel Aviv, Israel, e viu o anúncio de Noa. Ben adorou o espaço e tentou reservar, mas Noa, que é musicista, estava de férias. Ela havia esquecido de disponibilizar seu apartamento enquanto estava fora e, como resultado, Ben tinha que reservar em outro lugar.

Conforme relatado a SFGate, quando ela retornou e leu as mensagens de Ben, se “sentiu muito mal com o erro” e fez planos de encontrá-lo em um café em Israel antes de partir.

Os dois passaram a visitar um ao outro com muita frequência nos dois anos seguintes, culminando com um romance e, finalmente, em um casamento surpresa realizado no nosso escritório em São Francisco.

Você hospedou viajantes em alguns lugares malucos!
Kitty e Michael Mrache (Viajantes), Burlingame, CA e Frances Conklin e Dennis Sullivan (anfitriões), Cottonwood, ID, EUA


Nunca em nossa imaginação mais louca achamos que você poderia reservar uma casa gigantesca em forma de beagle ou uma cúpula em forma de cogumelo no Airbnb.

Kitty e Michael construíram a cúpula em forma de cogumelo em seu jardim em Aptos, CA. Recentemente, celebrando seu nono aniversário no Airbnb, eles basicamente criaram a categoria de casas exclusivas no Airbnb. É uma das acomodações mais populares, muitas vezes reservadas com muitos meses de antecedência.

Frances e Dennis disponibilizam aos viajantes em Sweet Willy, a gigante casa em forma de beagle em Cottonwood, ID. Ele dá um novo significado à frase “ser enviado para a casa do cachorro” e é também pet friendly.  

Atualmente, estão disponíveis no Airbnb:

  • 10.449 Casa móvel
  • 2.194 tendas
  • 1.403 ilhas
  • 8.951 casas minúsculas
  • 9.000 barcos
  • 2.194 casas na árvore
  • 183 iglus
  • 918 tenda
  • 155 moinhos
  • 758 cavernas

Você encontrou uma nova forma de sustento econômico
Associação de Mulheres Autônomas da Índia (Anfitriãs), Gujarat, Índia

A casa de Gauriben Brahman fica na aldeia de Bakutra, na província de Gujarat. É uma casa com telhado de palha, com três pequenos quartos cuidadosamente com berços, cobertos com lençóis bordados à mão. Gauriben é um anfitrião do Airbnb que recebe hóspedes de todo o mundo. Ela ganhou mais com um mês de hospedagem no Airbnb do que com um ano inteiro de colheita.

Gauriben é um dos vários anfitriões que fazem parte de uma iniciativa criada pela SEWA (Associação de Mulheres Autônomas) e pelo Airbnb para trazer novas oportunidades de subsistência às áreas rurais da Índia. Desde o seu lançamento no início de 2016, o número de mulheres anfitriãs que participam do programa mais do que dobrou.

Você compartilhou suas paixões
Nora Kaitis (Anfitriã), Chicago, IL, EUA

Se você fizesse uma busca por sereias, os Grandes Lagos poderiam não ser o primeiro lugar que você pensaria. Mas para a sereia profissional, Nora Kaitis, a ideia de trazer as sereias de conto de fadas para sua cidade natal, Chicago, fazia todo o sentido.

Em terra firme, Nora foi professora do sexto ano do Peace Corps por dois anos antes de trabalhar em vendas on-line e trabalhar duro como dançarina no Studio L’Amour, em Chicago.

Depois que descobriu a mistura única da arte e atletismo, Nora sabia que havia encontrado o seu propósito de vida. No verão de 2016, ela fez uma parceria com a AquaMermaid para abrir a primeira e única escola de sereias de Chicago. Embora as sereias tenham se originado nos balés aquáticos, nos espetáculos de vaudeville e no cinema clássico dos anos 20, 30 e 40, o esporte tem chamado a atenção nos últimos anos.

Hoje, sereias é mais do que apenas ter uma boa aparência em uma cauda reluzente. Nora oferece o que ela chama de “o treino mais glamouroso de Chicago”, e as técnicas que formam o núcleo das aulas do AquaMermaid foram desenvolvidas por um grupo de dançarinos profissionais, instrutores de fitness aquático e nadadores sincronizados – incluindo a equipe da McGill University em Montreal.

Você morou em um Airbnb
Michael & Debbie Campbell (Viajantes), do Mundo

Em 2012, Debbie e Michael Campbell moravam em Seattle, possuíam uma casa e um veleiro e trabalhavam em empregos que gostavam. A aposentadoria não estava no radar deles, e aos 58 e 68 anos, respectivamente, nenhum deles previa que a aposentadoria significaria ter como profissão a paixão por viajar.

Cinco anos depois, o casal visitou 68 países e mais de 200 cidades, e passou mais de mil noites em casas da Airbnb ao longo do caminho. E com aproximadamente dois terços dos países do mundo para explorar, eles dizem que a jornada deles como “nômades” está apenas começando.

Até agora, eles dormiram em 200 camas diferentes e usaram 55 números de telefone desde que saíram de Seattle, percorrendo uma média de 8 mil passos a pé por dia. Eles se hospedaram em um veleiro nas margens da costa da Itália e em um apartamento construído em rochas, em Salzburgo, na Alemanha. Eles também não carregam muitas coisas quando viajam: depois de quatro anos, eles carregam apenas dois travesseiros.

Esses momentos são uma amostra muito pequena das histórias incríveis da nossa comunidade nos últimos 10 anos. E isso é apenas o começo da nossa aventura. Nós mal podemos esperar para ver o que os próximos 10 anos nos reservam.

Esses momentos são uma amostra muito pequena das coisas incríveis que aconteceram em nossa comunidade nos últimos 10 anos. E isso é apenas o começo da nossa aventura. Nós não podemos esperar para ver o que os próximos 10 anos trazem.