Medindo a discriminação na plataforma Airbnb

Em parceria com a Color Of Change, maior organização de justiça racial online dos Estados Unidos, e com orientação de organizações de direitos civis e de privacidade, o Airbnb lança um projeto inovador para medir e combater preconceito e discriminação na plataforma. As descobertas servirão de base para atualizações de ferramentas e políticas para ajudar no combate à discriminação racial e ao preconceito que os usuários podem enfrentar ao usar o Airbnb. Os dados coletados nos Estados Unidos serão tratados de forma a proteger a privacidade das pessoas e serão usados exclusivamente para um trabalho antidiscriminação.

“Fizemos um progresso significativo nos últimos anos para abordar histórias dolorosas de indivíduos que tiveram pedidos de reserva rejeitados e outras experiências negativas. Nosso propósito é criar um senso de pertencimento, e mesmo um único incidente é uma afronta aos nossos valores. Temos a responsabilidade de fazer mais. Temos a honra de fazer parceria com a Color Of Change para nos ajudar a levar esse trabalho ao próximo nível, e a compreender integralmente quando a discriminação ocorre, como o viés inconsciente se manifesta na plataforma e a eficácia de nossas políticas. Você não pode combater o preconceito sem medi-lo primeiro”, diz Brian Chesky, cofundador e CEO do Airbnb. 

As conclusões serão usadas para examinar e abordar as disparidades na maneira como os usuários negros e de diversas etnias experimentam o Airbnb, por medo de maus-tratos ou devido à discriminação e ao preconceito. Isso inclui:

  • O processo de reserva, por meio de busca, solicitação, aceitação e cancelamento;
  • Comentários de anfitriões e hóspedes;
  • Contatos com o suporte ao cliente do Airbnb e outras linhas de suporte.

Este projeto está em desenvolvimento há quase dois anos, com o apoio e a contribuição dos  Justiça Avançada Asiática Americana (AAJC, sigla em inglês), Centro de Democracia e Tecnologia, Color of Change, Liga dos Cidadãos Latino-Americanos Unidos (LULAC, sigla em inglês), Rede de Ação Nacional, The Leadership Conference e Uptum.

“Em um momento em que muitas empresas têm feito declarações vazias de apoio às vidas negras, o Airbnb está se comprometendo a fazer o trabalho de combater a discriminação que tem sido uma consequência não intencional do rápido crescimento da empresa. Nossa parceria com o Airbnb neste projeto tem sido construída há anos e levado ao desenvolvimento de políticas tangíveis para reduzir a discriminação que devem servir de modelo para as empresas de tecnologia pares da plataforma”, diz Rashad Robinson, presidente da Color Of Change.

“O Vale do Silício tem um longo caminho a percorrer para se engajar construtivamente com grupos de direitos civis, de forma proativa e não reativa, buscando nossa experiência para construir plataformas que atendam às pessoas negras em vez de nos prejudicar. O Airbnb está criando um marco importante, tomando medidas mensuráveis para examinar e desmontar sistemas online discriminatórios. Ao definir esse marco, é importante entender que existem plataformas tecnológicas que já deixaram marcas irreversíveis nas comunidades negras em todo o país que precisam ser abordadas”, acrescenta.

Além do escopo desta iniciativa, a Color Of Change continuará aconselhando o Airbnb a fortalecer seu compromisso com os direitos civis e a erradicar o preconceito racial em outras áreas, incluindo verificações de antecedentes e avaliações de riscos, envolvimento da polícia e recursos da comunidade sobre serviços de apoio para evitar interações potencialmente violentas com a polícia. A parceria do Airbnb com a Color Of Change não envolve nenhum acordo financeiro.

“Numa época em que não podemos confiar apenas no governo para alcançar mais objetivos de justiça social, ‘aliados incomuns’ se tornam mais importantes do que nunca. Em um mundo em que vimos dados e tecnologia usados para promover a discriminação, temos o prazer de ver o Airbnb usá-los para combater preconceitos em sua plataforma. Todos estaríamos mais bem servidos se mais empresas seguissem a liderança do Airbnb no desenvolvimento de sistemas internos robustos para considerar e combater problemas de discriminação à medida que produtos e ferramentas são projetados e antes de serem lançados ”, diz Vanita Gupta, CEO da The Leadership Conference Direitos Civis e Humanos.

Compromisso Antidiscriminação

O Airbnb tem se engajado constantemente em combater preconceito e discriminação na plataforma desde 2016, após sua primeira auditoria de direitos civis, de autoria de Laura Murphy, ex-diretora do Escritório Legislativo de Washington da União Americana de Liberdades Civis e presidente da Laura Murphy & Associates. Por meio da contribuição direta e orientação de Murphy e de organizações de direitos civis, o Airbnb fez melhorias, incluindo a criação e a aplicação de uma rigorosa Política de Não Discriminação, a remoção de fotos de perfil de hóspedes do processo de reserva e o aumento de acomodações disponíveis para reserva instantânea, entre outras. O Airbnb também criou uma equipe de produtos antidiscriminação dedicada para priorizar esse trabalho, que agora lidera o Projeto Lighthouse.

Em setembro de 2019, o Airbnb lançou uma Revisão Trienal de seu Trabalho para Combater a Discriminação e Construir Inclusão, em um esforço para manter a transparência e a responsabilidade. De 2016 até hoje, mais de 1,3 milhão de pessoas se recusaram a concordar com a Política de Compromisso Comunitário e Não Discriminação da Airbnb e, por isso, tiveram o uso plataforma negado ou suas contas canceladas.