Hóspedes no Airbnb contribuíram com 416 mil empregos e US$ 4,5 bilhões de renda na América Latina e o Caribe durante 2021

Principais Informações

Principais Informações

A maneira como as pessoas viajam mudou para sempre. Agora, as pessoas estão mais flexíveis sobre onde vivem e trabalham e fazem viagens mais longas. Além disso, as fronteiras continuam a reabrir e a receber viajantes desta nova era. Essas mudanças são uma excelente oportunidade para a retomada do turismo e para fornecer apoio econômico às comunidades após anos de restrições de viagem. O World Tourism & Travel Council (WTTC) estima que, no último ano, houve a perda de quase US$4,5 trilhões em viagens e produto interno bruto (PIB) relacionados ao turismo devido à pandemia, afetando mais de 61 milhões de empregos.

O Airbnb está comprometido a apoiar o crescimento econômico na América Latina e no Caribe (LAC), ajudando as pessoas a participar ativamente da economia do turismo, ao se tornarem anfitriões no Airbnb em destinos novos e diversos, além do circuito turístico tradicional. Durante painel da IV Cúpula das Américas sobre “Recuperação Econômica através do Turismo”, a Diretora Global de Hospedagem do Airbnb, Catherine Powell, compartilhou dados de um novo relatório da Oxford Economics que demonstra como o Airbnb está impulsionando a recuperação do turismo na região.

As principais descobertas do relatório da Oxford Economics incluem:

  • A atividade econômica que foi diretamente estimulada por hóspedes em acomodações no Airbnb se recuperou rapidamente, ajudando a apoiar a recuperação do turismo da América Latina e do Caribe, com mais de 4,3 milhões de estadias em 2021 em comparação com 2019. 
  • Os gastos de hóspedes que fizeram reservas no Airbnb totalizaram US$ 16,4 bilhões em 2021, o equivalente a quase 4,9% de toda a atividade turística direta na região, de acordo com a análise da Oxford Economics.
  • Os gastos de hóspedes (excluindo os ganhos dos anfitriões) contribuíram diretamente com US$ 8,9 bilhões do PIB, 416 mil empregos na América Latina e Caribe, o que contribuiu para a geração de US$ 4,5 bilhões em salários.
  • A cada mil check-ins de hóspedes no Airbnb, durante um ano, os gastos desses viajantes (excluindo os ganhos dos anfitriões) apoiam diretamente 15 empregos na região, com salários e outros rendimentos que totalizam US$ 158 mil.
  • Os gastos de hóspedes que fizeram reservas no Airbnb aumentaram cerca de US$ 8,1 bilhões em 2021, atingindo um nível superior em mais de um terço em relação a 2019 (41,9% acima), mesmo que os gastos mais amplos com o turismo na região ainda sejam um quinto menores do que em 2019 (22,7% abaixo).
  • Para cada US$ 10 gastos em acomodações, os hóspedes no Airbnb gastam mais US$ 45 em outros negócios durante a viagem, como restaurantes, transporte e outras atividades.

Esses números são relevantes, dado o fato de que o turismo é uma parte cada vez mais importante nas economias da América Latina e Caribe (LAC). O turismo apoiou 8,5 milhões de empregos e contribuiu com mais de US$180 bilhões para o PIB em toda a região em 2021. O setor está se recuperando dos impactos da pandemia e a previsão da Oxford Economics prevê que os gastos dos visitantes em LAC se aproximem de US$500 bilhões em 2025 (US$492,6 bilhões), mais de 16% acima do nível pré-pandemia.

Queríamos entender a importância econômica da presença do Airbnb na América Latina e no Caribe. À medida que cidades, estados e países planejam os próximos meses e anos, esses dados mostram que o Airbnb pode ser uma parte importante da revitalização econômica em toda a região, apoiando as comunidades e os negócios locais, e fornecendo aos anfitriões locais uma maneira de obter uma renda significativa. Estamos ansiosos para continuar trabalhando com parceiros e governos para tornar isso realidade“, disse Catherine Powell, Diretora Global de Hospedagem do Airbnb. 

Esse impacto econômico positivo é fomentado por milhões de anfitriões no Airbnb que estão recebendo hóspedes em destinos em toda a América Latina e no Caribe, promovendo, assim, uma experiência de viagem e turismo que é boa para anfitriões, hóspedes e comunidades locais: 

  • Os anfitriões no Airbnb mantêm até 97% do que cobram por sua acomodação na comunidade.
  • As estadias listadas no Airbnb estão localizadas em uma ampla gama de bairros, incluindo bairros que normalmente não se beneficiam do turismo.
  • Quando os hóspedes chegam à acomodação que reservaram através do Airbnb, eles geralmente recebem recomendações de seu anfitrião sobre o comércio local para visitar, muitos dos quais no mesmo bairro onde está localizada a acomodação. Esse tipo de recomendação de viagem contribui para que os hóspedes possam ter a experiência de viver como os  locais e tem um impacto econômico positivo significativo, já que os hóspedes investem tempo e dinheiro em restaurantes e negócios da comunidade.. 

Durante o painel, Powell reiterou que o Airbnb está comprometido em ajudar a redistribuir o turismo e fomentar o empoderamento econômico na região. “As pessoas estão viajando novamente, mas estão viajando de uma maneira diferente: permanecendo por mais tempo e conhecendo novos lugares. Mais de 800 cidades da América Latina e Caribe receberam sua primeira reserva no Airbnb desde o início da pandemia. Isso distribui os benefícios econômicos do turismo para comunidades que não tinham essa oportunidade no passado. ” 

Inclusão e benefícios para todos

Especialistas do turismo e da economia também destacaram a importância de um ambiente de política pública turística inclusiva e integrada que beneficie comunidades inteiras de forma sustentável. Desse ponto de vista, Powell explicou como a plataforma Airbnb está empoderando mulheres a prosperar na economia do turismo, com mais da metade (53%) da comunidade anfitriã do Airbnb na América Latina e no Caribe se identificando como mulheres. Além disso, mencionou que durante 2021, novas mulheres anfitriãs na região ganharam aproximadamente US$ 91 milhões na plataforma

O Airbnb também informou que, segundo uma pesquisa interna, mais de 60% dos anfitriões relataram ter um emprego em tempo integral ou meio período, tornando a hospedagem uma oportunidade de gerar renda extra: um quinto (21%) dos anfitriões no Airbnb se identificaram como professores e mais de 10% como profissionais de saúde.

Anfitriões em toda a região estão utilizando a renda que ganham ao disponibilizar seus espaços no Airbnb para ajudar a pagar suas necessidades mais básicas e ter uma melhor qualidade de vida. Hospedar como uma forma de ganhar dinheiro para ajudar a cobrir o aumento do custo de vida (na América-Latina e no Caribe, o custo de vida é 4% a mais do que a média global) foi uma das principais razões pelas quais quase 40% dos anfitriões decidiram compartilhar seu espaço.

Seguindo em frente: Apoiando cidades

O Airbnb pode ser um parceiro essencial para as cidades ao ajudar a criar empregos e distribuir os benefícios do turismo para mais bairros, e tem trabalhado há muito tempo para ajudar a promover viagens sustentáveis e crescimento econômico. 

Em junho de 2020, o Airbnb lançou uma iniciativa para expandir o seu trabalho com organizações de promoção turística, governos e organizações sem fins lucrativos para apoiar a recuperação econômica local. Até o momento, foram celebradas mais de 140 parcerias e colaborações em mais de duas dezenas de países, incluindo campanhas recentes com a Organização de Turismo do Caribe, Discover Porto Rico, o estado de Jalisco, no México, e o estado de São Paulo, no Brasil.

Em termos de sustentabilidade, o Airbnb, na América Latina e no Caribe, fez uma parceria com a WWF para promover o turismo sustentável, seguro e responsável no México, Costa Rica, Colômbia e Brasil. A aliança destaca destinos culturalmente autênticos e biodiversos como uma alternativa ao turismo de massa e tradicional. Além disso, incentiva os hóspedes a aprender mais sobre as comunidades locais que visitam, contribuindo também para a reativação do turismo doméstico. 

Metodologia de pesquisa

A Oxford Economics analisou o impacto econômico da comunidade do Airbnb na América Latina e no Caribe.

Para efeitos desta análise, os gastos dos hóspedes que realizam reservas no Airbnb referem-se a todos os gastos de viagem, exceto acomodações, também referidos como ganhos de hospedagem. Ele inclui gastos diurnos no destino, como restaurantes, compras e entretenimento, bem como transporte local e transporte de e para o destino.

A região da América Latina e do Caribe analisada é composta por 48 países e territórios do México ao Chile, incluindo o Caribe.

A análise baseia-se em uma combinação de dados de atividade de hóspedes e dados de pesquisas de hóspedes fornecidos pelo Airbnb e em estimativas da Oxford Economics sobre o impacto econômico direto do turismo, em termos de PIB, empregos em cada país e território.

A Oxford Economics preparou estimativas baseadas em modelos para padronizar e ampliar as estimativas de gastos dos hóspedes, por exemplo, para incluir gastos com transporte para/do destino, e calculou as principais relações de impacto com base nas relações governamentais previamente estimadas entre turismo e atividade econômica.A análise foca nos impactos diretos, que consistem em gastos de hóspedes (excluindo acomodações ou ganhos de hospedagem) e o PIB, emprego e renda diretamente suportados por esses gastos. Os impactos diretos quantificados nesta análise excluem importantes efeitos multiplicadores, como impactos indiretos na cadeia de fornecimento que ocorrem à medida que as empresas que atendem diretamente aos visitantes compram insumos de outros negócios.  

  1.  World Travel & Tourism Council Travel & Tourism Economic Impact 2021
  2.  De acordo com a base de dados Global Travel Service da Oxford Economics.
  3.  Com base em dados internos do Airbnb de ganhos para anfitriões que se identificaram como mulheres na região da América-Latina. O valor não é representativo dos ganhos coletivos de anfitrião dado que informar o gênero é opcional.
  4.  Com base em uma pesquisa com 9.941 hóspedes que fizeram reservas no Airbnb entre 1º de junho de 2021 e 31 de dezembro de 2021. A pesquisa aconteceu entre 17 de fevereiro de 2022 e 31 de março de 2022. Todos os dados adicionais de pesquisa centrados em hóspedes neste relatório são originários desta pesquisa.